quidgest

Quidgest de novo com crescimento acima dos 35%, aponta caminhos para 2020

Em 2019 as vendas de produtos e serviços da Quidgest cresceram 35,2%. O grande destaque continua a ir para os mercados externos, que representaram quase 50% da faturação, sendo a Alemanha o país de maior relevo. Já era uma excelente notícia o mercado alemão confiar na engenharia de software portuguesa, numa lógica de outsourcing ou nearshore mas, ainda melhor, é confiar agora no seu produto final, totalmente desenvolvido em Portugal.

O ERP SINGAP Web, nomeadamente na componente de gestão de pessoas, foi o produto estrela em 2019. O seu desenvolvimento com modelação e automação, num conceito inovador, atualmente denominado pela Gartner como Postmodern ERP, tem vindo a ser selecionado em vários concursos internacionais, para substituição de soluções de gestão clássicas anteriores, em processos de Transformação Digital.

As soluções de Gestão de Planos de Saúde e de Gestão Proteção de Dados Pessoais foram outros dos seus produtos com excelentes resultados no ano que agora findou.

Segundo Cristina Marinhas, CEO da empresa: “Numa altura em que já se fala da possibilidade de uma nova crise, o potencial da indústria de produção de software nacional continua enorme. A Quidgest, em particular, destaca-se pela sua plataforma inovadora de modelação e geração automática de código, o Genio, que tem provas dadas na criação de soluções de gestão integradas, sem erros, num curto espaço de tempo, com menos recursos e, sobretudo, com mais atenção ao cliente, em qualquer parte do mundo. E isso permite-lhe chegar, mais rapidamente, a mais mercados e fornecer produtos e serviços competitivos e de excelência”. E adiantou: “Os bons resultados, realizados e previstos, continuam a dever-se à sua diferenciação tecnológica, à seleção das melhores competências, bem como à sua determinada e persistente estratégia de internacionalização”.

Para os próximos anos a Quidgest prevê que vários desafios de mudança, com novos riscos, se apresentam aos gestores, decisores e empresários. E numa visão de longo prazo é fundamental o reforço das preocupações com a estratégia, a sustentabilidade e a competitividade. Tudo isto tem a ver com software.

Carlos Costa, diretor de marketing e parcerias, refere que “vão duplicar os decisores e gestores que apostam na modelação, automação de software e inteligência artificial como forma de obter maior poder e retorno e, dar aos utilizadores, maior satisfação e produtividade. O controle e liderança da gestão estarão cada vez mais libertos de amarras tecnológicas obsoletas improdutivas e guiarão os caminhos tecnológicos mais ágeis do futuro.”

A Quidgest espera contar com mais 30% de novos colaboradores, de múltiplas nacionalidades, culturas e especialidades de negócio e com uma presença oficial em mais 30% de novos mercados, através da constituição de empresas locais ou de parcerias – a QuidNet. Nomeadamente as parcerias com Universidades, que vão ter um novo impulso, tanto na área da formação como da investigação.

Carlos Costa refere ainda que “a parceria com um especialista com mais de 30 anos de experiência no desenvolvimento ágil de soluções de gestão, com modelação e inteligência artificial, que triplicou o seu volume de negócios nos últimos cinco anos, é uma segurança fundamental na gestão da mudança e na implementação dos mais modernos sistemas de informação”.